21 de Maio de 2020
Imprensa RNZ (1182 articles)
Share

Ricardo Nezinho defende a participação do PSF no combate à Covid-19

Durante sessão plenária da Assembleia Legislativa de Alagoas (ALE) dessa quarta-feira (20), o deputado estadual Ricardo Nezinho (MDB) cobrou a união de forças dos governos Federal, Estadual e Municipal no enfrentamento à Covid-19.

Em seu pronunciamento por vídeoconferência, o deputado citou a importância do Programa de Atenção Básica à Saúde, com o Programa Saúde da Família (PSF), como forma de tratar os casos de Covid-19 logo no início dos primeiros sintomas da doença e assim evitar ou diminuir os casos de internação em UTIs.

Ricardo Nezinho citou o exemplo da cidade de Floriano (PI), onde os pacientes recebem tratamento ao aparecer os primeiros sintomas da doença. “Em Floriano, os médicos estão usando, na fase inicial da doença, a hidroxicloroquina e azitromicina, ivermectina, através da rede de Atenção Básica de Saúde do município”, destacou.

“Eu acredito que a grande esperança na luta contra a pandemia da Covid-19, neste momento, é o Programa de Atenção Básica à Saúde, no qual os agentes de saúde podem, com orientação médica, passar medicamentos antes que o paciente tenha sintomas mais fortes, quando sua imunidade ainda está boa”, ressaltou Nezinho.

Demonstrando bastante preocupação como parlamentar e como pessoa que não está imune a esse inimigo invisível, o deputado explicou que, se o paciente for atendido nesta primeira fase da doença, geralmente, não precisará ser encaminhado a um hospital de campanha, Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e, muito menos, a uma UTI.

“É com este raciocínio que prego sempre a união. O município precisa estar presente através do Programa de Saúde da Família (PSF), com os médicos, enfermeiros, auxiliares e técnicos de enfermagem, e os agentes de saúde e de endemias fazendo visitas diárias nos lares das pessoas e vendo como elas estão de saúde, verificando, inclusive, a temperatura”, apontou Ricardo Nezinho.

O parlamentar chamou atenção para o fato de que grandes nações desenvolvidas, com sistema de saúde de alta qualidade, como a China, onde tudo começou, países europeus como Espanha e Itália e os Estados Unidos perderam feio esta guerra biológica. “Por isso, eu defendo a participação efetiva do Programa de Saúde da Família como instrumento de muita eficácia no tratamento da doença, principalmente porque acompanha o paciente desde os primeiros sintomas virais, como uma gripe”, afirmou.

Ricardo Nezinho também defendeu a imediata participação dos agentes de saúde e de endemias como forma de melhorar esse atendimento do Programa de Saúde da Família. “Como eles são os profissionais que estão em contato com as comunidades, seguindo orientação médica, podem fazer um diagnóstico inicial para saber como está o estado de saúde de cada pessoa e, percebendo algo de anormal, como febre alta, tosse ou outros sintomas similares, poderão encaminhar o paciente ao médico, antes da doença se agravar”, frisou

Ao concluir, Ricardo Nezinho fez questão de lembrar que se faz necessário detectar os primeiro sintomas. “Esse acompanhamento, com certeza, evitaria vários internamentos, inclusive com o uso de aparelhos respiratórios. Vamos atuar nos primeiros sintomas para depois, se precisar, usar os hospitais de campanha e as UTIs. É uma guerra que as grandes potências mundiais estão perdendo e Alagoas pode ganhar se atuar na fase inicial”, afirmou o deputado.

 

FONTE:  www.diarioarapiraca.com.br/

Imprensa RNZ

Imprensa RNZ