8 de novembro de 2021
Imprensa RNZ (1248 articles)
Share

Personagens alagoanos se transformam em “Raízes de Arapiraca” pelo incentivo cultural de Ricardo Nezinho

Os sonhos transformados em realização de baixo de chuva ou de sol, colocaram Arapiraca entre as cidades mais importantes do Nordeste do Brasil. O suor de muitas famílias que aguaram as roças, a perspicácia nas vendas do comércio e da feira, e as brincadeiras nos picadeiros que trouxeram os sorrisos e os alívios da rotina de muito trabalho.

O projeto Raízes de Arapiraca, lançou, neste domingo (07), a 7ª Edição com a exibição de mais 15 documentários. “Vou falar do fundo do meu coração. Quero agradecer muito a Deus por realizar cada edição. A gente deixa viva a história daquela pessoa. Os personagens interagem em algum momento da vida dentro de Arapiraca. E como é bonita a história da nossa cidade. Moradores que vieram de fora e aqui se encontraram para formar a grande família Arapiraca. Agradeço a Deus pela oportunidade de estar à frente deste projeto, com uma equipe maravilhosa que faz tudo com muito carinho”, disse o deputado estadual Ricardo Nezinho, idealizador do projeto Raízes de Arapiraca.

Mais de 120 documentários já foram lançados desde o início do projeto. Moradores de Arapiraca contam suas histórias e como, de alguma forma, estas histórias ajudaram no desenvolvimento de Arapiraca. Histórias de vida relatadas pelos próprios protagonistas, em vida.

“É muito gratificante ver a alegria das pessoas. Eu acredito que seja uma homenagem ímpar, especial e fica o sentimento de que sua família está conhecendo a sua história, quais as dificuldades, as vitórias. Daqui a 100 anos, os novos membros da família terão a oportunidade de saber como a história foi escrita”, afirmou Suely Mara, esposa do deputado.

A ante sala do Cinesystem passou a ser tomada de emoção à medida que as famílias e os homenageados chegavam para assistir o lançamento da 7ª edição. Maria Cícera Santos chegou com a mãe homenageada, dona Joaquina Germano, de 96 anos. “Minha mãe é de Viçosa. Veio pra Arapiraca e sempre trabalhou na agricultura com plantio de fumo, feijão, mandioca. Estou emocionada por ver nossa mãe ser eternizada no documentário. É muito orgulho”, explicou Maria Cícera.

Aos 70 anos, com vários prêmios recebidos Brasil afora, Teófanes Silveira, o palhaço Biribinha, se emocionou também com a homenagem no projeto Raízes de Arapiraca. Baiano de Jequié, ele veio para Arapiraca em março de 1972 quando a família montou circo para levar alegria ao povo arapiraquense. “Cheguei em cima de um caminhão. De lá pra cá criamos vários laços de amizade. Arapiraca dava a sensação de Terra Prometida, fervilhava arte, cultura, agricultura e comércio. Agradeço de todo o meu coração ao deputado Ricardo Nezinho e equipe pela brilhante e genial ideia de ter criado um projeto, onde no futuro, muitas pessoas conhecerão as raízes de Arapiraca”, afirmou Teófanes Silveira, o Biribinha, Patrimônio Vivo da Cultura de Alagoas.

“Daqui a alguns anos quero estar aqui pra dizer: pronto, lançamos mil documentários. A gente só vai ter ideia realmente do quanto é importante todo este projeto quando escolas, universidades, as pessoas em geral, puderem pesquisar sobre as famílias, sobre a história de Arapiraca contada pelos próprios personagens”, afirmou Ricardo Nezinho.

Imprensa RNZ

Imprensa RNZ