Nezinho solicita audiência com Teófilo para definir instalação do IC em Arapiraca
31 de Maio de 2017
Imprensa RNZ (978 articles)
Share

Nezinho solicita audiência com Teófilo para definir instalação do IC em Arapiraca

O deputado estadual Ricardo Nezinho (PMDB) usou a tribuna da Assembleia Legislativa, nesta quarta-feira (31), para reivindicar uma definição sobre a instalação do Instituto de Criminalística (IC) na cidade de Arapiraca.

Na ocasião, o parlamentar destacou a importância do instituto para o atendimento a mais de 50 cidades do Agreste e Sertão de Alagoas.
Nezinho também solicitou ao deputado Rodrigo Cunha (PSDB) que marque uma audiência com o prefeito Rogério Teófilo (PSDB), para que o gestor receba em Arapiraca uma comissão de deputados e prefeitos das duas regiões.

“Precisamos debater o assunto e saber se o prefeito vai garantir a contrapartida necessária para que o instituto possa ser inaugurado o mais breve possível”, salientou Nezinho, revelando que o governador Renan Filho já se comprometeu em arcar com o aluguel da casa e a nomeação de 12 peritos que irão trabalhar no IC em Arapiraca.

Estrutura

De acordo com o deputado, o instituto terá duas equipes de peritos por turno de trabalho, veículo, toda infraestrutura necessária, além da polícia científica.
“Só falta o município, por meio da prefeitura, entrar com uma contrapartida de dezoito funcionários de apoio técnico e administrativo”, acrescentou Nezinho.

O parlamentar lembrou ainda que, há cerca de três anos, já cobrava do então governador do Estado, Teotônio Vilela, a interiorização do IC.

“É uma reivindicação muito importante, tanto para a região do Agreste quanto para o Sertão, já que o instituto na cidade de Arapiraca irá servir a mais de cinquenta municípios”, acrescentou Ricardo Nezinho, afirmando que, na época, havia um acerto com a então prefeita Célia Rocha da contrapartida com a cessão dos 18 servidores, e que só não foi concretizada devido aos trâmites burocráticos do serviço público.

Ainda em seu pronunciamento, Nezinho destacou que a chegada do Instituto de Criminalística na região é também humanitária, uma vez que, atualmente, os peritos demoram até 18 horas para chegar ao local do crime, e, nesse período, o corpo fica estendido no chão e os familiares tendo que passar por mais um sofrimento.

“Além disso, serão acelerados os exames periciais para mortes violentas e as constatações de crimes contra o patrimônio. A implantação do IC em Arapiraca também evitará que guarnições da Polícia Militar fiquem nos locais esperando por várias horas a chegada dos peritos”, completou Ricardo Nezinho.

 

FONTE:  www.diarioarapiraca.com.br

Imprensa RNZ

Imprensa RNZ