25 de outubro de 2012
Imprensa RNZ (996 articles)
Share

Na ALE, Regina Miki reitera dados sobre redução da criminalidade em Alagoas

A secretária Nacional de Segurança, Regina Miki, foi recebida na tarde desta quinta-feira, 25, pela Comissão de Segurança da Assembleia Legislativa de Alagoas, composta pelos deputados estaduais Ronaldo Medeiros, Gilvan Barros (PSDB), Jeferson Morais (DEM), Joãozinho Pereira (PSDB) e Ricardo Nezinho (PT do B). Antes do início da reunião na qual iriam discutir o acompanhamento do Programa Brasil Mais Seguro do governo federal, Miki conversou com a imprensa.

A secretária disse que a criação da Comissão era um anseio do próprio Ministério da Justiça e explicou que essa é uma forma de o Poder Legislativo seguir a execução e o orçamento do plano nacional de segurança.

Miki foi questionada pela imprensa sobre dois temas que estão ligados à execução do plano no Estado: a divergência dos números da criminalidade em Alagoas e as denúncias de truculência envolvendo policiais da Força Nacional de Segurança.

Ela esclareceu que em nenhum momento a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) foi questionada sobre o aumento ou não do número de homicídios e que a secretaria tinha dito apenas que os homicídios são a segunda causa de mortes. Ela reiterou que, tanto os dados da Sesau, quanto os da Secretaria de Defesa Social apontam para a redução no número de homicídios, no entanto, a metodologia utilizada pelos órgãos é diferente.

Segundo a secretária, em relação ao mesmo período do ano passado, houve uma redução de 251 homicídios no Estado. Ela frisou que, 51% desse número se refere a período desde a implantação do plano de segurança. “É inegável a queda da criminalidade em Alagoas”, afirmou.

Esses e outros números serão apresentados em mais uma reunião do Gabinete de Gestão Integrada (GGI), que será realizada nesta sexta-feira, 26, às 14h30. Na ocasião a secretária vai apresentar diversas estatísticas com números atualizados, inclusive com demonstrativo de quantas vidas foram poupadas nesse período.

Miki também adiantou que o policiamento ostensivo será reforçado, principalmente no município de Rio Largo, que continua registrando altos índices de criminalidade e foi escolhido como próximo alvo do plano nacional.

Truculência da FN

Também questionada sobre as denúncias de truculência por parte de policiais da Força Nacional, a secretária afirmou estar sabendo apenas do caso do policial civil que teria sofrido com os excessos cometidos pelos policiais. Ela reiterou que o caso será investigado pela corregedoria da FN e que os policiais envolvidos continuarão afastados até que o caso seja concluído. A secretária afirmou que caberá a corregedoria investigar também a conduta do policial civil.

“Não pactuamos com o abuso de autoridade ou desvio de conduta. Mas não permitiremos que a Força Nacional – que fez 77 mil abordagens – seja questionada por uma abordagem”, disse, acrescentando que hoje mesmo a Força Nacional participou da operação no bairro Cidade Universitária, que prendeu quatro homens, acusados em nove homicídios em Alagoas.

Ronaldo Medeiros

Em entrevista ao Alagoas24Horas, o deputado estadual Ronaldo Medeiros disse que uma das primeiras medidas da comissão será convocar os representantes do SUS para esclarecer a suposta divergência de números de mortes por homicídio em Alagoas.

Imprensa RNZ

Imprensa RNZ