26 de janeiro de 2016 Compartilhe

Deputados vão “brigar” para derrubar os vetos de Renan Filho ao Escola Livre e ideologia de gênero

Se depender dos deputados estaduais autores das matérias vetadas pelo governador Renan Filho (PMDB), os vetos serão derrubados no parlamento estadual.

O chefe do Executivo não deve ter vida fácil.

Já falei sobre estes vetos aqui em uma postagem publicada no dia de ontem. Um deles foi dado ao projeto de lei do deputado estadual Bruno Toledo (PSDB) que regulamenta a venda de bebidas alcóolicas nos estádios de futebol.

Em entrevista ao jornal Tribuna Independente – matéria da jornalista Andrezza Tavares – o parlamentar tucano ressalta que a perspectiva é que a Casa de Tavares Bastos permaneça com o mesmo posicionamento.

“Espero que a Assembleia continue com o mesmo posicionamento quando aprovou os projetos. Vou conversar com todos os meus pares e trabalhar pata derrubar todos esses três vetos governamentais”, colocou Bruno Toledo.

Toledo também defendeu o mérito do projeto discordando da relação entre violência e álcool dentro dos estádios. “Não apresentei o projeto de maneira aleatória”.

O próximo passo será conversar com a Mesa Diretora para que o veto entre na Ordem do Dia antes mesmo do prazo expirar e a pauta ser trancada.

O mesmo raciocínio serve para os demais vetos polêmicos, como foi com o Escola Livre. O autor da lei, deputado estadual Ricardo Nezinho (PMDB), defendeu que o “o projeto é constitucional”. “Ele acompanha a vertente de muita constitucionalistas. A matéria ficou na Assembleia Legislativa por ser meses, foi votado e aprovado em todas as comissões e no plenário. Foi amplamente divulgado na imprensa alagoana e não houve nenhuma voz discordante. Não teve (enquanto estava na Casa) questionamento quanto à constitucionalidade”.

O que dá para perceber, nas entrelinhas da fala de Nezinho, é que as discussões só nasceram quando o Escola Livre saiu do parlamento e dependia apenas de um único homem (o governador) para ser vetado. “O projeto é altamente democrático e moderno, que beneficia a sociedade alagoana. Jamais iria apresentar um projeto maléfico”.

Para Nezinho, as polêmicas nascem das deturpações que fazem do projeto de lei. Nesta luta, Nezinho ganhou o apoio de Bruno Toledo. Os dois devem ainda contar com o voto de Sérgio Toledo (PDT).

Sérgio Toledo vai chamar para si a luta para derrubar o veto em relação ao artigo do Plano de Educação que retira a ideologia de gênero. “Tenho esperança de que possamos reverter isso na Assembleia. Se a maioria dos deputados entenderem que isso é importante para a Educação e para Alagoas, vamos reverter. Vou conversar com todos os deputados, mas não será minha posição e o meu pedido que será decisivo e sim a consciência de cada parlamentar. Se tiver apenas um voto para a derrubada, pode ter certeza que este voto será meu”.