24 de outubro de 2017 Compartilhe

Deputado Ricardo Nezinho participa de audiência pública para discutir o transporte escolar de universitários

“Não vamos deixar que nossos sonhos morram. Vamos continuar lutando para que nossas conquistas valham a pena”.

A afirmação foi feita na manhã desta segunda-feira (23), por uma aluna da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), ao partcipar no auditório do Sesi-Senai, na Primavera, de audiência pública, com o tema “Transporte e moradia estudantil: permanência e êxito acadêmico, para discutir o transporte coletivo Estudantes universitários que residem em cidades do interior.

ricardo sesi audiência publica

Segundo os estudantes, muitos alunos estão desistindo da conquista do diploma por conta da precariedade do transporte para os locais onde estudam.

Em Alagoas, Arapiraca concentra a maior quantidade de jovens que saem de outros municípios para fazer a faculdade, pública ou particular.

Entidades de ensino superior em Arapiraca,  preocupadas com a grande evasão escolar nas instituições de ensino superior, como a própria Ufal, Cesmac Ifal e outras instituições de ensino de nível superior, técnico e médio, debateram o tema durante audiência pública realizada em Arapiraca nesta segunda-feira (23), na sede do SESI/Senai, iniciativa realizada em parceria com a Assembleia Legislativa Estadual (Ale) e a Associação dos Municípios Alagoanos (Ama).

 

 

A audiência pública foi coordenada pela deputada estadual Jó Pereira e contou com a partcipação dos deputados estaduais Ricardo Nezinho (PMDB) e Rodrigo Cunha (PSDB), além de prefeitos da Região Agreste.

A cidade foi escolhido para a realização da audiência pois um estudo feito pela Ufal aponta Arapiraca como o local que mais recebe estudante de outras localidades. A audiência teve como objetivo discutir junto à comunidade escolar a problemática do transporte e moradia estudantil.

O deputado Ricardo Nezinho (PMDB) disse que o ensino superior é uma ferramenta para que os estudantes busquem seus sonhos e, em muitos casos, mantenham suas família.

“Esta audiência é de fundamental importância porque a problemática do transporte e da moradia estudantil tem tirado muitos alunos universitários da sala de aula.

Aqui é o foro legítimo para debater esta questão e estamos buscando caminhos para que juntos possamos solucionar essa reivindicação.

Já fizemos uma reunião na Associação dos Municípios onde ouvimos os prefeitos, agora estamos ouvindo a comunidade escolar.

Acho que o próximo passo é ouvir os deputados federais sobre o assunto”,  disse o parlamentar.

Segundo Ricardo Nezinho, porque também é de interesse de todos esse problema, que afeta, não apenas os estudantes, mas também suas famílias que vêem o sonho de cada um, transformado em pesadelo ao ter que trancar suas matrículas e cfonsequententemente, abanadonar seus respecytivos cursos.

 

Para o deputado Ricardo Nezinho, que tem levantando a questão ma tribuna da Assembleia Legislativa e discutido o assunto, também com o governador Renan Filho (PMDB) e com prefeitos da Região Agreste, é necessário a participação dos deputados federais que integram a bancada alagoana no Congresso Nacional.

 Ele defendeu que esta luta é de interesse de todos e só vai fortalecer as conquistas dos alunos do ensino superior, que vêem o seu sonho desmoronando por falta de condições de arcar com as despesas de transporte escolar.

 

docuemnto transporte publico

Ainda durante a sua explicação, Ricardo Nezinho, apresenta documento extraído do próprio site do ministério da Educação, onde diz que o governo federal, investiu cerca de 1 bilhão e 200 milhões de reais com as universidades federais, mas discorda plenamente desses números ao atestar a falta desses recursos como disse o próprio ministro da Educação, Mendonça Filho.

A reitora da Ufal, Valéria Correia, apresentou estudos mostrando a existência de uma parcela de estudantes universitários que precisam de algum tipo de apoio, entre eles, a questão do transporte e moradia.

 

“O processo de democratização do acesso às universidades aconteceu nos últimos dez anos. Temos um perfil socioeconômico dos estudantes das universidades federais do Nordeste. Eles possuem família com renda per capita de até 1,5 salário mínimo, isso quer dizer que a questão da permanência é um problema e o transporte é decisivo para que o estudante continue seu estudo”, destacou.

Participaram ainda da audiência, prefeitos, vereadores, representantes da Polícia Militar, do Cesmac Agreste, da SMTT de Maceió, do Ifal, estudantes, professores e a comunidade escolar.

Redação

 

Fonte:  noticiasdasuacidade.com