CPI da TIM em AL terá acesso aos relatórios da Anatel
20 de setembro de 2011
Imprensa RNZ (1038 articles)
Share

CPI da TIM em AL terá acesso aos relatórios da Anatel

Os membros da Comissão Parlamentar de Inquérito da TIM se reuniram nesta segunda-feira, 19, em Brasília, com o presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), Ronaldo Mota Sardenberg. O objetivo do encontro foi ter acesso ao relatório de fiscalização feito pela Anatel no município de Arapiraca. Além do presidente da CPI, deputado Ricardo Nezinho (PTdoB), estiveram na reunião o deputado estadual Ronaldo Medeiros (PT) e o deputado federal Renan Calheiros (PMDB), o gerente de Fiscalização, José Joaquim, do superintendente de Serviços Privados, Dirceu Baraviera, da assessora de Relações, Letícia Seabra e do chefe de gabinete, Raphael Garcia, todos funcionários da Anatel.

Durante a reunião, o presidente Sardenberg, se comprometeu em entregar o relatório completo até o dia 29 de setembro. A informação foi muito bem vista pela comitiva alagoana que comemorou o resultado do encontro. “Ser recebido em um órgão nacional, apresentando a nossa demanda, é a prova da seriedade dos trabalhos que estão sendo desenvolvidos pela CPI da TIM. Vamos esperar a chegada do relatório da Anatel para concluir o nosso”, assegurou Nezinho.

De acordo com o presidente da CPI, Ricardo Nezinho, é essencial que a CPI tenha acesso a esses documentos para que seja possível a finalização das atividades da comissão com êxito. “A investigação da CPI está perto do final”, disse Nezinho. A CPI também tem a participação dos deputados Sérgio Toledo (PDT), Dudu Hollanda (PMN) e Jota Cavalcante (PDT).

Ainda de acordo com Nezinho, a Anatel, na condição de órgão público responsável pela fiscalização do setor de telefonia, não se negou em contribuir com os trabalhos da CPI. O relatório da Anatel contém dados sobre a qualidade do serviço oferecido na região do Agreste alagoano, principalmente em Arapiraca, onde os consumidores fazem o maior número de reclamações contra a TIM.

Nezinho fez questão de frisar que a CPI não pretende fazer juízo de valor acerca dos problemas que a TIM apresenta em Alagoas. “Nosso objetivo é o de realizar uma investigação séria. Não queremos pirotecnia. Queremos ouvir todas as explicações necessárias e, com base nos relatórios que estamos colhendo com a Anatel e as outras empresas que prestam serviços a TIM, poderemos apresentar um resultado que atenda, principalmente, aos interesses da sociedade”, esclareceu.

A expectativa dos integrantes da CPI é de que com esse relatório de fiscalização da Anatel em mãos a comissão deverá convocar os membros da operadora TIM, e logo após poderá concluir o relatório final, apresentando todas as sugestões possíveis para melhorar a qualidade nos serviços oferecidos pela TIM aos seus usuários em Alagoas. A empresa é uma das campeãs em reclamações no Procon-AL. “Todos podem ficar certos que daremos uma resposta ao final dos trabalhos. Este é o nosso objetivo”, completou Ricardo Nezinho.

Desde o início dos trabalhos da Comissão, já foram ouvidos o diretor-geral do Procon, Rodrigo Cunha; os representantes da Anatel Antônio Jorge (gerente da Unidade Operacional em Alagoas) e Ricardo Henrique (substituto do gerente do Escritório Regional da Anatel em Pernambuco); o presidente da OAB de Arapiraca, Maurício Fernandes e o promotor de Justiça Saulo Ventura, responsáveis por ouvir as reclamações dos clientes da TIM em Arapiraca; o diretor e o coordenador de operações da empresa Nokia/Siemens, José Carlos Neto e Márcio Nakai, respectivamente; o presidente do Sindicato dos Trabalhadores de Empresas de Telecomunicações (Sintel), José Mendonça Araújo.

Imprensa RNZ

Imprensa RNZ